Estamos nas Redes

Polícia

Polícia considera morte de cantor sertanejo ‘caso elucidado’

Publicado

on

As investigações da DEHS apontaram que a vítima foi executada por engano com mais de 20 tiros, no dia 4 de janeiro, em Manaus.

Foto: Reprodução

Com quatro presos por suspeita de participação na morte do cantor sertanejo Igor Moreira de Lima, que tinha 29 anos, a Polícia Civil do Amazonas considera o caso “elucidado”.

As investigações da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) apontaram que a vítima foi executada por engano com mais de 20 tiros, no dia 4 de janeiro, em Manaus.

Na terça-feira (7), a DEHS prendeu Jânio Pacheco de Sales, de 36 anos, conhecido como “Pica-pau”, apontado como mandante do crime. Ele foi capturado em um condomínio no bairro Ponta Negra, Zona Oeste da capital.

Segundo delegado Daniel Antony, adjunto da DEHS, com a prisão de “Pica-pau”, o caso foi totalmente elucidado, tendo em vista que outros três indivíduos já foram presos anteriormente.

“Obtivemos êxito nessa última prisão. As investigações apontaram que o suspeito foi o mentor intelectual do homicídio do cantor, mas em depoimento, ele alega que não foi o mandante do crime”, explicou Antony.

No entanto, as investigações esclarecem que indícios apontam que teria partido de “Pica-pau” a ordem para a execução de um desafeto que pertence a um grupo criminoso rival, ocasião em que o cantor foi executado por engano.

Investigações

No decorrer das ações policiais, foram presos no dia 13 de janeiro deste ano, Wala Lourenço Ferreira, 29, conhecido como “BH”, e Gabriel Mendes Ferreira, 21, o “Dedinho”; e no dia 26 do mesmo mês, foi preso Patrick de Lima Batista, 19, o “PK”.

“Wala foi o motorista do veículo que deu fuga ao grupo, ‘Dedinho’ e ‘PK’, foram os executores, e ‘Pica-Pau’ o mandante”, detalhou o delegado.

Jânio responderá por homicídio, e será encaminhado para a audiência de custódia, onde ficará à disposição da Justiça.

Publicidade

Facebook