Estamos nas Redes

Polícia

Maior apreensão de maconha do ano é realizada no Amazonas

Publicado

on

As Forças de Segurança do Amazonas apreenderam 1,5 tonelada de maconha tipo skunk, na maior apreensão de entorpecentes do ano realizada pelas equipes da unidade fluvial Base Arpão 2. A operação ocorreu nas proximidades do município de Barcelos, a 399 quilômetros de Manaus, e causou um prejuízo estimado em mais de R$ 37 milhões ao crime organizado.

Além da droga, foram apreendidos uma balsa, um empurrador e um bote, e quatro pessoas foram presas. A operação foi coordenada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) e contou com a participação de efetivos da Polícia Militar do Amazonas (PMAM), da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC) e com o apoio do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM).

O secretário da SSP-AM, coronel Vinícius Almeida, destacou a ação integrada das Forças de Segurança, elogiando a eficiência de cada órgão envolvido. Ele também ressaltou os resultados positivos alcançados pelas quatro bases fluviais que operam no Amazonas, lembrando que essa apreensão se diferencia por ser a maior realizada em uma única ação.

Ativada em 4 de janeiro deste ano pelo governo Wilson Lima, junto com as bases Tiradentes e Paulo Pinto Nery, a Base Arpão 2 foi responsável por reduzir a zero os ataques de piratas ao transporte de combustível e carga no estado. “Agora, a Base Arpão 2 consegue detectar essa grande quantidade de droga. Parabenizo todas as equipes envolvidas nessa ação”, concluiu o secretário.

A apreensão

A ação que resultou na apreensão foi iniciada, na noite da última quarta-feira (12/06) e foi concluída, nesta sexta-feira (14/06). Após a abordagem a balsa Galo da Serra, que retornava de São Gabriel da Cachoeira (852 quilômetros de Manaus), os cães policiais da Companhia Independente de Policiamento com Cães (CipCães) identificaram que havia droga no compartimento que transporta combustível.

“A Polícia Militar suspeitou da embarcação, os nossos cães conseguiram identificar o entorpecente, mesmo sendo uma embarcação de transporte de combustível. A partir daí, como tinha uma dificuldade de adentrar para identificar e fazer retirada das drogas, precisamos do apoio do Corpo de Bombeiros, que fez esse adentramento e o regaste da droga, que estava em uma parte de combustível”, falou o comandante-geral da PMAM, coronel Klinger Paiva.

Após checagem, os policiais conseguiram confirmar a presença do entorpecente. Em decorrência de ter transportado produto inflamável, os militares da PMAM conduziram a balsa para Novo Airão (a 115 quilômetros de Manaus), onde os militares do Corpo de Bombeiros realizaram, na manhã desta sexta-feira, a retirada de todo o entorpecente.

“As equipes de Novo Airão se depararam com um ambiente confinado, com vapores de combustível, um ambiente perigoso, se equiparam com equipamentos de proteção respiratória para que não houvesse comunicação do ar que respiravam com o ar contaminado. Foi uma operação bastante perigosa, arriscada, mas com o treinamento e técnica adequada conseguiram fazer o resgate da droga”, explicou o comandante-geral do CBMAM, Alexandre Gama.

Ao todo, foram retiradas 49 sacas com entorpecentes, que totalizaram cerca de 1,5 tonelada de droga. Após análise realiza pelo perito do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC) confirmou que era maconha do tipo skunk. Com a apreensão, o prejuízo ao crime está estimado em mais de R$ 37 milhões.

Procedimentos

Quatro pessoas suspeitas de terem realizado o transporte de toda a droga, entre eles três homens de 34, 50 e 42 anos e uma mulher de 37 anos foram presos em flagrante. Um dos suspeitos já tem passagem pela polícia pelo crime de tráfico de drogas.

O grupo foi apresentado à Polícia Civil (PC-AM) embarcada na Base Arpão 2 e autuados por tráfico de drogas e associação para o tráfico.

O delegado-geral adjunto da PC-AM, Guilherme Torres, ressaltou a integração de cada órgão envolvido em decorrência da complexidade de toda a operação. “A Polícia Civil entrou com a parte cartorária, procedimental. Foi feita a apreensão da embarcação, que vai nos auxiliar em futuras ações de logística para que a gente possa atuar contra outros crimes e essa balsa vai nos auxiliar continuar mantendo essas ações”, adiantou Torres.

Novos modus operandis

Durante a coletiva, o SSP-AM, coronel Vinícius Almeida, destacou o novo modus operandi identificado e interceptado pelas Forças de Segurança, que é a tentativa de transporte de entorpecentes em balsa de transporte de combustíveis. O SSP afirmou que a partir de agora, o trabalho será ainda mais intensificado para que outras interceptações possam ocorrer, uma vez que liga o alerta do sistema de segurança.

Foto: Carla Albuquerque SSP/AM

Publicidade

Facebook