Estamos nas Redes

Justiça

Em Manaus, PMs acusados de chacina são afastados e perdem remuneração

Publicado

on

A Justiça do Amazonas ordenou a suspensão dos policiais militares acusados de envolvimento em uma chacina que resultou em quatro mortes em Manaus. Em virtude dessa sentença, os PMs também terão seus salários interrompidos. O crime ocorreu em dezembro de 2022, e os corpos das vítimas foram descobertos em um veículo no ramal Asa Branca, na AM-010.

O juiz de direito Lucas Couto Bezerra, responsável pela 2ª Vara do Tribunal do Júri, assinou a decisão. Além de determinar a suspensão dos PMs de suas funções, o magistrado definiu que outras medidas cautelares serão aplicadas aos policiais militares:

  • suspensão da remuneração,
  • recolhimento dos armamentos e materiais bélicos institucionais,
  • recolhimento das carteiras de identidade dos Policiais Militares,
  • recolhimento dos fardamentos Policiais Militares,
  • suspensão dos portes de armas institucionais
  • bloqueio e cancelamento de Serviços Extra Gratificado.

Na decisão, o juiz argumenta os motivos da suspensão dos salários: “Posto que não estão exercendo a função militar, nem de natureza ou interesse militar, em razão do afastamento do serviço ativo da Polícia Militar do Amazonas”.

A decisão já chegou ao Comando Geral da Polícia Militar do Amazonas, foi repassada pelo comandante-geral, Marcos Klinger dos Santos Paiva, no dia 13 de novembro de 2023, mas só foi publicada no Diário Oficial do Amazonas (DOM) na segunda-feira (21).

A decisão judicial determina a suspensão de 14 policiais militares:

  • tenente Thiago Silva Paz de Almeida
  • sargento Charlys Mayzanyel da Ressurreição Braga
  • PM Charly Mota Fernandes
  • sargento Jonan Costa de Sena
  • sargento Raimundo Nonato do Nascimento Torquato
  • cabo Jose Vandro Carioca Franco
  • PM Tharle Coelho Mendes Bruce
  • PM Diego Bentes Bruce
  • cabo Stanley Ferreira Cavalcante
  • cabo Anderson Pereira de Souz
  • cabo Maykon Horara Feitoza Monteiro
  • soldado Weverton Lucas Souza de Oliveira
  • soldado Marcos Miller Jordão dos Santos
  • soldado Dionathan Sarailton de Oliveira Costa

O caso

O crime aconteceu em dezembro de 2022. Os corpos das quatro vítimas foram encontrados na manhã do dia 21 de dezembro, dentro de um carro na altura do quilômetro 32 do ramal Asa Branca da AM-010. A rodovia estadual liga a capital Manaus às cidades de Rio Preto da Eva e Itacoatiara.

Um dos corpos estava no porta-malas do veículo. A polícia também identificou sinais de violência nas vítimas.

Entre os mortos estavam duas mulheres e dois homens.

Na mesma semana, a Polícia Civil prendeu mais de dez PMs suspeitos de envolvimento nos crimes.

Um vídeo divulgado na época mostra a abordagem dos PMs às vítimas, ainda na área urbana de Manaus. Câmeras de monitoramento também registraram a passagem do carro das vítimas pela Avenida das Torres em direção à AM-010. O veículo era escoltado por duas viaturas da PM.

A partir das provas, a Justiça do Amazonas aceitou a denúncia do Ministério Público do Amazonas (MPAM) e os PMs se tornaram réus. Em outra decisão, a justiça estadual decidiu que 16 policiais militares seriam levados a júri popular.

Foto: Ivan Duarte

Publicidade

Facebook