Estamos nas Redes

Internacional

Tensões aumentam: Irã lança drones contra Israel, forças armadas mantêm postura firme

Publicado

on

Neste sábado (13), o Irã realizou um ataque com drones contra Israel em resposta a incidentes anteriores. O porta-voz das forças armadas israelenses, Daniel Hagari, declarou que estão cientes dessas ameaças e têm experiência em lidar com elas.

Militares israelenses estimam que pelo menos 100 drones foram lançados e relatam barulhos de sirenes e explosões nos céus do país.

Segundo as Forças de Defesa de Israel, a ameaça sobre o espaço aéreo do país já estava sendo monitorada pelas autoridades. Os serviços de GPS devem ficar indisponíveis em algumas áreas do território israelense para que os militares possam lidar com a situação, de acordo com o porta-voz Hagari.

Mais cedo, antes das falas do porta-voz confirmando os ataques, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, emitiu um comunicado dizendo que o país estava preparado para eventuais ataques iranianos.

“Determinamos um princípio claro: quem nos ferir, também será ferido. Nos defenderemos contra qualquer ameaça e faremos isso com equilíbrio e determinação”, afirmou o primeiro-ministro.

Em sinal de apoio dos Estados Unidos, a Casa Branca disse que o presidente Joe Biden se reuniria ainda este sábado com sua equipe de segurança nacional para tratar da questão e que o apoio americano ao aliado no Oriente Médio é “inflexível”.

Malicioso regime sionista será punido, diz Khamenei

O líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, disse neste sábado (13) que o “malicioso regime sionista” será punido.

A retaliação acontece após o ataque de supostos aviões de guerra israelense que bombardearam o consulado do Irã na capital síria, Damasco, no dia 1º de abril, num ataque que a República Islâmico disse ter matado sete conselheiros militares.

“O próprio malicioso, que é todo maldade, maldade e erro, acrescentou outro erro aos seus próprios erros ao lançar um ataque ao consulado iraniano na Síria”, disse Khamenei após os ataques em Damasco.

Foto: Divulgação

Publicidade

Facebook