Estamos nas Redes

Internacional

Presidente do Peru substitui seis ministros após investigação de enriquecimento ilícito

Publicado

on

No fim de semana, a polícia e os promotores foram à casa e escritórios da presidente em busca de evidências da origem de pelo menos três relógios Rolex

A presidente do Peru, Dina Boluarte, substituiu seis ministros na segunda-feira (2), após suas renúncias abruptas. A dança das cadeiras ministeriais ocorre em meio a um novo escândalo político envolvendo Boluarte e relógios de luxo, acrescentando volatilidade à política cada vez mais instável do país sul-americano.

As demissões ocorrem após uma investigação lançada sobre alegações de enriquecimento ilícito pela presidente, relacionadas aos seus relógios Rolex. No fim de semana, a polícia e os promotores fizeram buscas na casa e escritórios de Boluarte em busca de evidências sobre a origem dos relógios. Boluarte negou qualquer irregularidade, afirmando que comprou os relógios com seu próprio dinheiro.

O ministro do Interior, Victor Torres, anunciou sua renúncia na segunda-feira, seguido pelos ministros da Educação e das Mulheres. Todos expressaram apoio a Boluarte, com um deles criticando a batida policial na casa da presidente como “desnecessária” e “excessiva”. Torres justificou sua renúncia citando “questões familiares e de saúde”. Os outros dois ministros não deram explicações para suas renúncias.

Na noite de segunda-feira, Boluarte anunciou três demissões adicionais de seu gabinete, incluindo os ministros da Produção, Comércio e Agricultura. Ela nomeou seis novos ministros, substituindo cerca de um terço de seu gabinete de 19 pessoas em um único dia. Entre as novas nomeações, Walter Ortiz, que anteriormente liderou a unidade de crime organizado do Ministério do Interior, assumirá o cargo de ministro, um importante oficial de segurança encarregado da polícia nacional.

As demissões ocorrem enquanto o primeiro-ministro de Boluarte, que assumiu o cargo no mês passado, busca apoio do Congresso, temendo que o Legislativo controlado pela oposição possa negar apoio ao primeiro-ministro. Ex-vice-presidente, Boluarte ascendeu à presidência no final de 2022, sendo a sexta presidente em seis anos, após a destituição e prisão do presidente Pedro Castillo sob acusação de rebelião e conspiração.

Foto: Cris Bouroncle / AFP

Publicidade

Facebook