Estamos nas Redes

Internacional

Otan debate capacidade da indústria da defesa

Publicado

on

No encontro, que se prolonga até quinta-feira, os líderes militares dos atuais 31 Estados-membros da Aliança e de países convidados vão avaliar e definir os próximos passos das decisões tomadas pelos chefes de Estado e de Governo na cimeira de Vilnius, que decorreu em julho de 2023.

Na capital da Lituânia, os líderes políticos acordaram medidas para reforçar a defesa e a dissuasão da OTAN a longo prazo, em todos os domínios e contra todas as ameaças e desafios.

Um dos pontos-chave desta estratégia são os chamados planos regionais – planos geograficamente específicos – concebidos para dissuadir e defender contra as duas ameaças descritas no Conceito Estratégico e na Estratégia Militar da OTAN : Rússia e os grupos terroristas.

Na capital belga, os chefes de Estado-Maior reunir-se-ão, pela primeira vez, no formato Conselho OTAN -Ucrânia para debater “a guerra de agressão da Rússia contra a Ucrânia, a situação no terreno e o apoio continuado da OTAN e dos aliados à Ucrânia”, indicou uma nota informativa da Aliança.

A par da Suécia, Austrália, Japão, Nova Zelândia e Coreia do Sul também figuram entre os países convidados da reunião para discutirem a situação estratégica de segurança na região do Indo-Pacífico, os desafios regionais e as suas implicações para a segurança global. A próxima cimeira da OTAN , agendada para Washington em julho de 2024, também será abordada.

O Comité Militar, a mais alta autoridade militar da OTAN , é a principal fonte de conselhos militares para os órgãos civis de decisão da Aliança.

Foto: Toms Kalnins – Epa

Publicidade

Facebook