Estamos nas Redes

Internacional

Forças israelenses bombardeiam Gaza em meio a tensões sobre reféns

Publicado

on

Forças israelenses lançaram ataques em diferentes regiões da Faixa de Gaza na segunda-feira, precedendo um aguardado anúncio do grupo palestino Hamas sobre o destino de três reféns israelenses. Autoridades de saúde relataram 12 palestinos mortos em um ataque aéreo em Gaza, ao norte, e confrontos intensos em Khan Younis, ao sul, onde tanques israelenses bombardearam a cidade. A Agência de Imprensa Palestina SAFA, ligada ao Hamas, informou sobre combates e ataques a tanques em Al-Bureij e Al-Maghazi, no centro de Gaza.

Imagens do campo de refugiados de Al-Nusseirat mostraram devastação, com a jornalista local Doaa El-Baz descrevendo a destruição de seu bairro. As comunicações em Gaza permaneceram cortadas pelo quarto dia, segundo moradores. Os militares israelenses afirmaram ter matado dois combatentes palestinos em Khan Younis, atingindo um veículo com armas e invadindo um centro de comando do Hamas.

Os três reféns, parte dos 240 capturados em um ataque do Hamas em Israel em outubro, continuam sob destaque. Desde então, os confrontos resultaram em mais de 24.100 mortes e cerca de 61.000 feridos, de acordo com as autoridades de saúde. Apesar do anúncio de uma mudança para operações mais direcionadas, as hostilidades persistem, com 132 mortes nas últimas 24 horas. Cerca de dois milhões de pessoas deslocadas enfrentam ameaças de fome e doenças devido à escassez crônica de alimentos, combustível e medicamentos, enquanto a ofensiva israelense continua no sul de Gaza.

REFÉNS

O Hamas transmitiu no domingo um vídeo que mostra três reféns israelitas que mantém em Gaza e instou o governo israelita a parar a sua ofensiva aérea e terrestre e a conseguir a sua libertação. O vídeo sem data de 37 segundos de Noa Argamani, 26, Yossi Sharabi, 53, e Itai Svirsky, 38, terminou com a legenda: “Amanhã (segunda-feira) iremos informá-los sobre o destino deles”. Cerca de metade dos 240 reféns feitos pelo Hamas na sua incursão de 7 de Outubro no sul de Israel foram libertados durante uma trégua de curta duração em Novembro, mas Israel afirma que 132 permanecem em Gaza e que 25 morreram no cativeiro. Falando no Egipto no fim de semana, o Ministro dos Negócios Estrangeiros chinês, Wang Yi, apelou à rápida retomada das conversações de paz entre Israel e a Palestina, envolvendo “a formulação de um calendário específico e de um roteiro para a implementação de uma ‘solução de dois Estados’”.

HOUTIS

Com os temores crescentes de um conflito mais amplo no Oriente Médio, os militares dos EUA disseram no domingo que seu avião de combate abateu um míssil de cruzeiro antinavio disparado de áreas militantes Houthi do Iêmen em direção a um contratorpedeiro dos EUA que operava no sul do Mar Vermelho. A intercepção aérea é o mais recente incidente no Mar Vermelho, onde os Houthis têm atacado a navegação internacional, no que dizem ser uma campanha para apoiar os palestinianos sitiados pelas forças israelitas em Gaza. Segue-se a uma série de ataques aéreos americanos e britânicos contra alvos Houthi no Iémen na semana passada, que atraíram ameaças de uma resposta “forte” por parte da milícia apoiada pelo Irão. Questionado na segunda-feira se a Grã-Bretanha participaria em mais ataques aéreos contra os Houthis, o ministro da Defesa britânico, Grant Schapps, disse “vamos esperar e ver o que acontece… a liberdade de navegação é um direito internacional que deve ser protegido”.

Foto: Reprodução

Fonte: Agência Brasil

Publicidade

Facebook