Estamos nas Redes

Internacional

Forças Armadas iranianas determinam investigação sobre morte de Raisi

Publicado

on

O chefe do Estado-Maior das Forças Armadas iranianas, Mohammad Bagheri, ordenou a abertura de um inquérito para investigar o acidente aéreo que resultou na morte do presidente Ebrahim Raisi. O helicóptero em que Raisi viajava caiu no domingo, no noroeste do país, provocando também a morte do ministro dos Negócios Estrangeiros, Hossein Amir-Abdollahian, e de outros sete passageiros.

O líder supremo do Irã, Ali Khamenei, nomeou o vice-presidente Mohammad Mokhber como chefe de Estado interino e decretou cinco dias de luto oficial. Em comunicado, Khamenei expressou profundo pesar pela perda e destacou a importância de uma investigação rigorosa para apurar as causas do acidente.

Investigação Oficial em Curso

De acordo com a agência oficial de notícias Irna, Bagheri estabeleceu uma comissão de investigação liderada pelo general Ali Abdollahi, vice-coordenador do Estado-Maior das Forças Armadas do Irã. A comissão tem a missão de identificar os fatores que levaram à queda do helicóptero presidencial, que ocorreu na encosta de uma montanha na província de Azerbaijão Oriental.

Bagheri ressaltou a necessidade de uma apuração minuciosa e pediu que “uma comissão de alto escalão inicie imediatamente os trabalhos para esclarecer a causa do desastre que vitimou nove pessoas”. As autoridades locais informaram que o helicóptero decolou sob condições climáticas adversas, o que pode ter contribuído para o acidente.

Esforços de Resgate e Reações Internacionais

Os destroços do helicóptero foram localizados na manhã desta segunda-feira, e as equipes de resgate confirmaram a morte de todos os ocupantes, incluindo o presidente Ebrahim Raisi e o ministro Hossein Amir-Abdollahian. Os corpos das vítimas foram recuperados e estão sendo preparados para as cerimônias fúnebres.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas observou um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do acidente, destacando a relevância de Raisi no cenário internacional. As cerimônias fúnebres estão programadas para começar nesta terça-feira, em Tabriz, noroeste do Irã.

Mudança de Liderança e Eleições

Com a nomeação de Mohammad Mokhber como presidente interino, o Irã segue as diretrizes constitucionais para a transição de poder. Mokhber já se reuniu com o ministro da Justiça, Gholamhossein Mohseni Ejei, e com o presidente do Parlamento, Mohammad Bagher Ghalibaf, para discutir os próximos passos.

Segundo a Constituição iraniana, novas eleições presidenciais devem ser organizadas dentro de 50 dias. O governo trabalha agora para assegurar uma transição ordenada e a continuidade administrativa até a escolha do novo presidente.

Impacto Político e Social

A morte de Ebrahim Raisi representa um golpe significativo para a política iraniana. Como presidente, Raisi era uma figura central nas negociações internacionais e nas políticas internas do país. Sua ausência deixa um vazio que o governo interino e o futuro presidente terão de preencher.

A tragédia também destaca a necessidade de revisar as condições de segurança dos voos oficiais no Irã. Especialistas sugerem uma investigação aprofundada nas práticas de manutenção e operação de aeronaves governamentais para evitar futuros acidentes.

Conclusão

O inquérito sobre a queda do helicóptero que matou o presidente Ebrahim Raisi e sua comitiva é crucial para esclarecer as circunstâncias do acidente e prevenir ocorrências similares. A resposta rápida das Forças Armadas e do governo iraniano demonstra a seriedade com que o país está tratando a tragédia. A comunidade internacional acompanha com atenção os desdobramentos, enquanto o Irã se prepara para uma nova eleição presidencial em um momento de luto e transição.

Foto: AFP

Fonte: Agência Brasil

Publicidade

Facebook