Estamos nas Redes

Internacional

Enchentes atingem áreas da Rússia e do Cazaquistão

Publicado

on

Inundações tomaram conta de cidades e vilas na Rússia e no Cazaquistão nesta quarta-feira, depois que o terceiro maior rio da Europa transbordou, forçando a retirada de mais de 110.000 pessoas e inundando partes da cidade russa de Oremburgo.

O dilúvio de água derretida inundou dezenas de assentamentos nos Montes Urais da Rússia, na Sibéria, no Volga e em áreas do Cazaquistão, após importantes rios, como o Ural, que deságua no Cáspio, subirem mais de 70 cm além de seu ponto de ruptura, atingindo mais de 10 metros.

Em Oremburgo, uma cidade com 550.000 habitantes a cerca de 1.200 km a leste de Moscou, centenas de casas foram inundadas e pelo menos 7.700 pessoas foram retiradas quando o rio Ural subiu rapidamente além do nível crítico de 9,3 metros.

Imagens da Reuters mostraram áreas próximas à cidade debaixo d’água. Em Kurgan, uma região que se estende pelo rio Tobol, 4.500 pessoas foram retiradas e cresceu o temor de que milhares – ou até dezenas de milhares – mais precisariam ser retiradas.

“A previsão é desfavorável”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, aos repórteres. “O nível da água continua a subir nas zonas de inundação, grandes quantidades de água estão chegando a novas regiões.”

A situação de inundação foi aguda em partes da Sibéria Ocidental, a maior bacia de hidrocarbonetos do mundo, onde o pico é esperado em três a cinco dias, e em algumas áreas ao redor do Volga, o maior rio da Europa, disse o ministério de emergências.

Os moradores de Oremburgo disseram que foi a pior inundação de que se tem memória, enquanto as autoridades russas disseram que foi a pior inundação na área desde que se tem registro. O Cazaquistão informou que 96.000 pessoas foram retiradas.

A Rússia disse que 10.500 casas foram inundadas em 37 regiões, a maioria na região de Oremburgo.

Fonte: Agência Brasil

Publicidade

Facebook