Estamos nas Redes

Amazonas

Manaus reforça batalha contra o mosquito da dengue com 1.200 armadilhas

Publicado

on

Nesta segunda-feira, cerca de 1.200 armadilhas para capturar o mosquito Aedes aegypti, conhecido por transmitir a dengue, serão instaladas na área de alto risco de infestação no bairro da Compensa, zona oeste de Manaus. Essa iniciativa é realizada em parceria entre a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e o Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia).

As Estações Disseminadoras de Larvicidas (EDLs) serão implantadas nas residências durante o período de 30 de outubro a 9 de setembro, visando reduzir a população de mosquitos transmissores. A ação envolve 33 pessoas, incluindo colaboradores da Semsa e da Fiocruz Amazônia, que trabalharão em duplas. O bairro da Compensa abrange 436 quadras, 30.058 imóveis e tem uma população de 94.932 pessoas.

A estratégia das EDLs foi desenvolvida pelo pesquisador da Fiocruz Amazônia, Sérgio Luz, como parte dos esforços de preparação do município para enfrentar o aumento da transmissão de doenças como dengue, zika e chikungunya. Essas armadilhas usam tecnologia de baixo custo e são recomendadas pelo Ministério da Saúde (MS) como parte das ações de combate às arboviroses no país.

A parceria entre a Semsa Manaus e a Fiocruz Amazônia para o monitoramento do Aedes está em andamento desde 2017 e já abrangeu os bairros Glória, Santo Antônio, São Raimundo e Compensa, todos localizados na zona oeste da capital.

Foto: Divulgação/FVS-RCP

Publicidade

Facebook