Conecte-se Conosco

Amazonas

Após atingir 4ª maior cheia, Rio Negro recua pelo terceiro dia seguido em Manaus

Publicado

em

A cota do Rio Negro recuou pelo terceiro dia seguido e marcou 29,72 metros, nesta terça-feira (28), em Manaus. A água parou de subir desde quarta (22), quando alcançou 29,75 metros, o quarto maior nível já registrado desde o início da série história, em 1902.

Apesar do recuo, a capital segue em estado de inundação severa, que é de 29 metros. Além disso, técnicos do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) apontam que mesmo com a descida do nível do rio nos últimos dias, ainda é cedo para confirmar o início da vazante. A capital continua na lista de cidades em emergência por causa da cheia de 2022.

Desde meados de maio, o avanço das águas tem alterado a paisagem urbana da capital, especialmente na região central. A avenida dos Barés, próxima das feiras da Banana e da Manaus Moderna, foi a primeira a ter trecho interditada por conta da cheia. A rua Barão de São Domingos, na mesma região da capital, também foi bloqueada.

Nos trechos das avenidas Eduardo Ribeiro e Floriano Peixoto próximo à Praça do Relógio, também há registro de inundação, mas o fluxo de veículos segue liberado.

Para viabilizar o trafego de pedestres, foram construídas pontes de madeiras nas duas regiões da cidade.

Na Zona Centro-Sul da capital, duas alças inferiores da ponte dos Bilhares também foram interditadas. Segundo o IMMU, o bloqueio tem o intuito de garantir a segurança do tráfego ao constatar que o nível da água da enchente do igarapé do Mindu está comprometendo a circulação nesse sentido.

Fonte: G1 AM

Foto: divulgação Semcom