Conecte-se Conosco

Famosos

Exploração, calúnia e assédio moral: Veja as brigas mais feias dos famosos na Justiça

Publicado

em

Mumuzinho, Sikêra Jr. e Rachel Sheherazade enfrentaram brigas na Justiça em 2021 – Foto: Reprodução

As brigas entre famosos que fazem a alegria de quem curte uma fofoca muitas vezes extrapolam a troca de farpas nas redes sociais e vão parar na Justiça. Em 2021, celebridades se engalfinharam judicialmente com acusações das mais diversas, que vão de calúnia a exploração, passando até por assédio moral no trabalho.

Entre os “brigões” do ano, destacaram-se Rachel Sheherazade, que foi para cima de Silvio Santos com um processo, Lívia Andrade e até a defensora dos animais Luisa Mell.

Confira a lista com as cinco tretas mais feias entre celebridades na Justiça:

Davizinho x Mumuzinho
O jurado do The Voice ganhou na Justiça o direito de receber uma multa no valor de R$ 600 mil do ex-pupilo após alegar quebra de contrato. Com isso, Davizinho teve sua gravação de DVD interrompida em 30 de novembro por causa da briga que se arrasta desde 2018.

Apesar da decisão a favor de Mumuzinho, o novo empresário do ex-agenciado do famoso segue afirmando que o valor foi “inventado” pelos advogados do sambista e até o acusa de explorar o cantor novato. Ele defende a versão de que Davizinho assinou um contrato leonino, termo jurídico usado para acordos que só beneficiam um dos lados e, por isso, podem ter seu valor ser contestados.

Sheherazade x Silvio Santos
Demitida em agosto de 2020, Rachel Sheherazade foi para a Justiça pedir uma indenização do SBT no valor de R$ 20 milhões. O Notícias da TV teve acesso ao processo de 522 páginas, no qual ela afirma que nunca recebeu nenhum direito trabalhista, como férias remuneradas e 13º salário, além de acusar Silvio Santos de assédio moral e humilhação em rede nacional e alegar que foi vítima de censura e boicote por parte da chefia de Jornalismo da emissora.

Na ação protocolada em 11 de março, é citado o episódio do Troféu Imprensa realizado em 9 de abril de 2017, quando Sheherazade subiu ao palco para receber o Troféu Internet de melhor apresentadora de telejornal. A jornalista diz ter sido humilhada por Silvio Santos.

“Eu te chamei para você continuar com a sua beleza, com a sua voz, foi para ler as notícias, e não dar a sua opinião. Se quiser falar sobre política, compre uma estação de TV e faça por sua própria conta”, disse o dono da emissora na ocasião. O SBT se recusou a fazer um acordo com a jornalista, e o processo ainda está em andamento.

Lívia Andrade x Pétala Barreiros
A briga entre Lívia e Pétala teve início no final do ano passado, quando a famosa teve o namoro com Marcos Araújo, dono do Festival Villa Mix e presidente e CEO da Audiomix, divulgado na imprensa. O empresário é ex-marido da jovem, e a briga ganhou desdobramentos em 2021.

As duas passaram o ano inteiro às turras. Em setembro, Lívia detonou a ex-mulher do namorado e até os parentes dela em entrevista para o colunista Leo Dias, do portal Metrópoles. Diante disso, Pétala e os pais, Eunice Barreiros e Altamir Barreiros, protocolaram ação de danos morais no valor de R$ 100 mil contra a modelo.

O pedido de urgência para que a apresentadora apagasse os posts sobre a rival foi negado, mas o juiz aproveitou para dar uma chamada na famosa para maneirar nas alfinetadas.

Luisa Mell x Sikêra Jr.
Com a alegação de que foi humilhada na televisão, Luisa Mell protocolou uma ação na Justiça em agosto contra Sikêra Jr. A empresária se queixa de ter sido atacada pelo apresentador publicamente em várias ocasiões. A rixa entre os dois começou em 23 de outubro de 2020. Naquele dia, o Alerta Nacional exibiu uma reportagem sobre zoofilia, e Sikêra teria feito graça da situação.

Por causa disso, a defensora dos animais foi às redes sociais repudiar o ato do comunicador. Após essa postagem, a militante alega que passou a ser ofendida publicamente. Em uma entrevista, por exemplo, ele declarou que a também atriz “só fica atrás de homem casado”.

Carlos Vereza x José de Abreu
A briga entre os atores veteranos é mais uma das que se arrastam desde 2020. O imbróglio começou em 27 de janeiro de 2020, quando José Abreu fez duras críticas a Regina Duarte, que naquela época havia acabado de aceitar o convite do presidente Jair Bolsonaro para assumir a Secretaria Especial da Cultura. Vereza foi às redes sociais pedir respeito em nome da colega.

Abreu, então, rebateu acusando o rival de ter agredido uma colega a bengalada nos bastidores de Corpo Dourado (1998), da Globo. Foi a gota d’água para Vereza decidir processar o intérprete de Santiago em Um Lugar ao Sol na esfera criminal. Após perder, o defensor de Regina Duarte protocolou uma outra ação, dessa vez cível, em fevereiro deste ano, na qual pediu R$ 80 mil de indenização.